Sexta-feira , 4 Dezembro 2020
DECLARAÇÃO DO VICE-PRESIDENTE DO PSD DR. PEDRO PINTO

DECLARAÇÃO DO VICE-PRESIDENTE DO PSD DR. PEDRO PINTO

DECLARAÇÃO DO VICE-PRESIDENTE DO PSD DR. PEDRO PINTO

 

Boa noite,

O PSD acaba de ouvir com reforçada atenção a comunicação do Senhor Presidente da República ao País, e queremos agora assegurar aos portugueses o nosso redobrado compromisso de tudo fazer para resgatar Portugal da situação de assistência financeira em que ainda nos encontramos.

Nós somos daqueles que nunca abandonam Portugal. No Governo, nas autarquias e na Europa estamos dispostos a tudo dar a um país que é o nosso. E que tudo merece.

Temos energia e determinação para prosseguir o programa de modificação de Portugal que se iniciou há dois anos, e que nos permitiu que dois terços do programa de assistência estejam já cumpridos com sucesso, como as sucessivas avaliações dos nossos parceiros internacionais demonstram.

Estamos agora em condições de começar a concretizar um novo ciclo de ação governativa em que a prioridade é o Crescimento Económico e o Emprego.

Sem nunca esquecer a necessidade de ter contas públicas saudáveis, sendo estas a base necessária para que Portugal possa concentrar todas as suas forças no crescimento da Economia, o PSD sabe que o governo de coligação com o CDS-PP vai poder neste novo ciclo responder às necessidades dos portugueses e das famílias.

Sabemos os enormes sacrifícios que todos fizemos nestes últimos dois anos mas os vários sinais positivos da atividade económica levam a que com prudente esperança o PSD queira que este governo de coligação com o CDS-PP consiga concretizar as bases de um Estado mais pequeno e que o País possa financeiramente suportar com os seus impostos.

Para sermos bem-sucedidos precisamos do empenhamento de todos. O PSD está sempre disponível para o diálogo e por isso respondeu de imediato e de espírito aberto ao recente desafio de entendimento entre os três partidos do arco da governação lançado pelo Senhor Presidente da República, o que muito bem compreendemos.

Tudo fizemos pelo entendimento entre PSD, CDS-PP e PS. Este não foi possível pelas razões que os portugueses conhecem e podem avaliar. Mas enquanto partido estamos disponíveis para continuar o diálogo com todas as forças partidárias e parceiros sociais.

Não queremos ter a verdade toda.

Queremos dar o nosso melhor e estar abertos aos contributos e às boas ideias independentemente da sua cor partidária.

Portugal sabe que sempre foi esse o nosso caminho. A forma robusta e clara como a coligação ultrapassou os seus recentes problemas leva os dois partidos a serem o exemplo vivo de que com diálogo se pode sempre encontrar soluções melhores.

É esse o caminho que mais uma vez iremos trilhar certos de que este é o rumo certo.

 

Lisboa, 21 de julho de 2013.

 

Scroll To Top