Sexta-feira , 4 Dezembro 2020
Candidatos “traidores” vão ser expulsos do PSD

Candidatos “traidores” vão ser expulsos do PSD

3 de outubro de 2013

PEDRO PASSOS COELHO
 

Conselho Nacional: Passos preocupado com contas do país este ano

Mais do que a derrota nas eleições autárquicas, o que está a preocupar o primeiro-ministro são as contas do país até ao final do ano. A execução do Orçamento do Estado para 2013 – disse no Conselho Nacional do PSD esta terça-feira à noite – está por um fio, se os riscos constitucionais se concretizarem. Passos não falou da possibilidade de falhar as metas do défice, mas dramatizou os riscos constitucionais para que o país cumpra com o acordado.

in i – 03-10-2013

 

Passos com tolerância até saída da troika

E, no dia seguinte, os mercados não reagiram. Este bem podia ser o epílogo de uma noite eleitoral em que, a acreditar na declaração de Passos Coelho de fidelidade ao rumo traçado, tudo mudou para que tudo fique na mesma. Passos reagiu com frieza à derrota e nem um músculo do rosto se lhe mexeu ao reiterar a intenção de prosseguir a mesma política. Os mercados terão acalmado, mas o PSD não. Nos corredores do principal partido do Governo, não parece restar pedra sobre pedra.

in Visão – 03-10-2013

 

Troika obriga a cativar 20 mil milhões até junho

A troika está inflexível na esmagadora maioria das medidas e metas em negociação das 8ª e 9ª avaliações. A visita da missão está quase a terminar e alguns pontos estão mais ou menos estabilizados: o Estado irá manter o nível de depósitos em 20 mil milhões de euros ou mais para o que der e vier no próximo ano; a meta do défice não muda (fica nos 4%) e o Governo compromete-se a cortar quase 43 mil milhões de euros na despesa, tendo ficado de apresentar medidas alternativas aos chumbos do Tribunal Constitucional e um plano B caso os juizes venham a vetar mais normas. Anteontem à noite, citado pelo Expresso online, Pedro Passos Coelho disse que até ao fim do ano vamos saber se podemos ou não concluir o programa com sucesso.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

 

Pronto-socorro do euro prepara nova chuva de dinheiro para a banca

Cavaco Silva, Passos Coelho, Paulo Portas, Pires de Lima. Todos vêem a economia nacional a sair da recessão e a subir os degraus do crescimento. Uma visão bem diferente têm os responsáveis europeus sobre a economia da zona euro. Mario Draghi anunciou ontem mais uma injecção de dinheiro na banca para responder a um crescimento frágil. E o comissário europeu dos Assuntos Sociais diz que não há margem para complacências e que a recuperação ainda não é sustentável.

in i – 03-10-2013

 

PT voltou a ter o Estado accionista, mas é o brasileiro

Dois anos depois de o Governo português ter abdicado do poder na PT, ao extinguir a “golden share”, a empresa vai ser integrada numa multinacional que tem o Estado Brasileiro como accionista. A transferência da PT do âmbito do Estado Português para o do Estado Brasileiro é mais do que uma ironia. Enquanto o Governo de Pedro Passos Coelho assume como política o não intervencionismo e a saída do Estado de empresas, o Governo de Dilma Rousseff adoptou uma política simétrica, de “campeões nacionais” altamente apoiado no BNDES, banco de investimento estatal que gere uma carteira de participações empresariais poderosa. A participação na Oi é uma delas.

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

 

Joana Amaral Dias: “BE tem de partir muita pedra”

“A expectativa saiu completamente gorada. Os simpatizantes e eleitores não perdoam isso ao Bloco”. Joana Amaral Dias diz que o partido deve focar mais energias na crítica ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho, “um dos piores de sempre”, e menos ao PS, que tem sido visado pelo seu comprometimento com o memorando da ‘troika’ para o país.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Empresários analisam como foi sobreviver

Mais de 1.300 empresários estão já inscritos na convenção “Sobreviver e Crescer”, que se realiza dia 9 deste mês no Centro de Congressos, em Lisboa. Oriundos de regiões desde Bragança ao Algarve, e dos mais variados sectores, os “empresários sobreviventes do processo de ajustamento vão refletir sobre o que correu mal, o que é preciso mudar e quais as condições para continuar a crescer”, explica José Eduardo Carvalho, presidente da Associação Industrial Portuguesa. A convenção conta com participação do primeiro-ministro.

in Diário de Notícias – 03-10-2013
Mais e menos

Pedro Passos Coelho perdeu cor esta semana: teve a confirmação que faltava: desaprovação total da sua política governativa. Mas com melhores escolhas de candidatos a lugares-chave, como Porto, Lisboa ou Sintra, as eleições podiam ter corrido muito melhor.

in Visão – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

PT trocou 100% de 10 por 10% de 100 – Editorial de Pedro Santos Guerreiro

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

Saúde, troika, cortes e reforma do Estado – Editorial

in Diário Económico – 03-10-2013

Convém não desvalorizar as eleições europeias – Editorial de Eduardo Oliveira e Silva

in i – 03-10-2013

Até ao lavar dos cestos…

in Diário de Notícias – 03-10-2013

A Avenida da Liberdade e o Mundo novo – Pedro Santana Lopes

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

Chamem o populismo?Fernando Sobral

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

Pequeno Dicionário Autárquico – Francisco Assis

in Público – 03-10-2013

As autárquicas e a troika – Pedro Santos Guerreiro

in Sábado – 03-10-2013

Porque é que as autárquicas foram a vitória da austeridade? – Gonçalo Bordalo Pinheiro

in Sábado – 03-10-2013

Algumas notas sobre as autárquicas (1) – José Pacheco Pereira

in Sábado – 03-10-2013

Como se governa depois disto?Pedro Camacho

in Visão – 03-10-2013

O défice da Caixa Geral de AposentaçõesDiogo Freitas do Amaral

in Visão – 03-10-2013

E agora?Luís Marques Mendes

in Visão – 03-10-2013

Passos ligado à máquinaÁurea Sampaio

in Visão – 03-10-2013

Os padrinhosJoão Dias

in Diário Económico – 03-10-2013

A intransigência é sempre um boatoFerreira Fernandes

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Opinião dos leitores

Mais passista que Passos

in Público – 03-10-2013

De novo a ditadura?

in Visão – 03-10-2013

Liderança do PSD

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

MARCO ANTÓNIO COSTA
 

Candidatos “traidores” vão ser expulsos do PSD

Todos os militantes do PSD que se candidataram contra as listas do partido vão ser expulsos. As estruturas concelhias que identifiquem esses casos vão fazer queixa directa ao Conselho de Jurisdição Nacional, para que assim não seja necessária uma intervenção da direcção. O coordenador político do PSD, Marco António Costa, também já sublinhou que os estatutos são para cumprir.

in i – 03-10-2013

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Passos associa decisões do TC a um segundo resgate financeiro

No Conselho Nacional do PSD, Pedro Passos Coelho terminou a sua intervenção inicial desfiando um conjunto de acontecimentos que podem levar a um segundo pedido de ajuda financeira. Tendo estes como ponto de partida os “riscos constitucionais”, isto é, novos chumbos do Tribunal Constitucional. A meio do encontro Marco António Costa, vice-presidente do partido, fez uma declaração aos jornalistas, sublinhando, precisamente, a cooperação institucional: “Era útil que todos os órgãos de soberania estivessem empenhados na conclusão do programa de assistência e para que Portugal possa sair desta situação.”

in Diário de Notícias – 03-10-2013

in Público – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

Então porque é que o PSD perdeu? – Gonçalo Bordalo Pinheiro

in Sábado – 03-10-2013

Notas de uma campanha alegrePedro Norton

in Visão – 03-10-2013

 

 
LUÍS MONTENEGRO
 

Maioria inviabiliza queixa da AR à PGR contra Rui Machete

A maioria PSD/CDS chumbou ontem um requerimento do BE para que a alegada prestação de falsos testemunhos de Rui Machete, no âmbito da comissão de inquérito ao caso BPN, fosse participada à Procuradoria-Geral da República (PGR). O envio da queixa foi inviabilizado em conferência de líderes por sociais-democratas e centristas, o que motivou os bloquistas a formalizarem um projeto de deliberação para ser levado à PGR, que deverá ser votado na sexta-feira. O líder parlamentar do PSD defendeu que o pedido do BE foi recusado por “decisão maioritária”, acusando os bloquistas de quererem “instrumentalizar” a AR “por uma questão política e não jurídica”.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

in i – 03-10-2013

in Público – 03-10-2013

 

PS reclama “vitória histórica” nas autárquicas, maioria desvaloriza

Três dias depois das autárquicas, todas as bancadas (à excepção do BE) escolheram os resultados das eleições de domingo como tema de debate na primeira sessão plenária. Segundo o presidente do grupo parlamentar socialista, “os portugueses confiam cada vez mais no PS e nas suas propostas e confiam cada vez menos nas políticas do Governo”. Na resposta, o líder da bancada social-democrata, Luís Montenegro, reconheceu que “objectivamente o PS ganhou as eleições” e o “PSD não cumpriu os objectivos”.

in Público – 03-10-2013

 

PSD
 

PSD quer corte no IMI para famílias numerosas

O PSD está a ultimar um projecto de lei onde se contempla uma redução do IMI para famílias numerosas. A intenção deverá ser formalizada nos próximos dias disse ao Negócios a deputada e vice-presidente do partido Nilza Sena e, tal como o Expresso já adiantou, deverá traduzir-se numa redução de 10% para famílias com quatro filhos, 25% para famílias com cinco filhos e 50% para agregados com seis ou mais filhos.

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

 

Maioria chumba parecer de Isabel Moreira

A maioria PSD/CDS chumbou ontem, na comissão de Assuntos Constitucionais, um parecer Isabel Moreira que identificava “inconstitucionalidades flagrantes” na proposta de lei da convergência dos regimes de pensões. No parecer, a deputada independente eleita pelo PS considera que o artigo 7. “do diploma viola os princípios da proporcionalidade, proteção da confiança, igualdade e direito à segurança social.

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

Requalificação de regresso… sem despedimento

O PSD E O CDS já entregaram no Parlamento a proposta de alteração ao regime de requalificação da Função Pública, que retira a possibilidade de despedimento dos trabalhadores inativos há mais de 12 meses, uma das normas chumbadas pelo Tribunal Constitucional.

in Jornal de Notícias – 04-10-2013

 

Autárquicas levam à saída de 12 deputados

Os deputados vencedores fazem as malas após as autárquicas e despedem-se da Assembleia da República. Os outros – cerca de três dezenas, entre candidatos a câmaras, juntas e assembleias municipais – vão acumular os mandatos de deputados com as funções no Poder Local, alguns na Oposição. Teresa Leal Coelho, deputada e vice-presidente do PSD, garantiu ao JN que vai manter-se no Parlamento e tomar posse como vereadora na Câmara de Lisboa, só recebendo dinheiro através de senhas de presença em reuniões do Executivo de António Costa.

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

Abreu Amorim pondera abandonar vida política

O candidato da coligação PSD/CDS à Câmara de Gaia denotado pelo PS, Carlos Abreu Amorim, admitiu abandonar a vida política e regressar à vida académica, mas só depois de uma “reflexão profunda”.

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

PSD avança com ação para expulsar rebeldes

A discussão em torno das penalizações dos candidatos que avançaram com candidaturas adversárias do PSD centrou a discussão da comissão política do partido durante os trabalhos de terça-feira. Paula Teixeira da Cruz abriu as hostilidades quando defendeu que o partido não deveria expulsar os militantes, mas sim mostrar-se unido e coeso, e os ânimos exaltaram-se. A intervenção inicial de Passos Coelho centrou-se na leitura dos resultados autárquicos, mas também passou pelas questões nacionais, lembrando o presidente do partido que há riscos constitucionais que devem ser tidos em conta.

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

António Capucho pode ser expulso do PSD

Todos os militantes do PSD que se candidataram contra as listas do partido vão ser expulsos. As estruturas concelhias que identifiquem esses casos vão fazer queixa directa ao Conselho de Jurisdição Nacional, para que assim não seja necessária uma intervenção da direcção. O coordenador político do PSD, Marco António Costa, também já sublinhou que os estatutos são para cumprir. O caso foi levantado por várias vozes no Conselho Nacional do PSD por causa, sobretudo, de Marco Almeida, candidato independente em Sintra contra a candidatura de Pedro Pinto. E de António Capucho, que não só foi candidato à Assembleia Municipal de Sintra pela lista de Marco Almeida, como apoiou a lista de independentes em Cascais, contra Carlos Carreiras. Segundo relatos de vários conselheiros ouvidos pelo “i”, apenas Paulo Rangel e Paula Teixeira da Cruz disseram ser contra a “perseguição” de militantes.

in i  03-10-2013

 

Como o Porto se tornou independente

Colocada entre a ementa previsível das opções políticas, a fervura dos aparelhos partidários e a “feira popular” do candidato do PSD, Luís Filipe Menezes, com toneladas de suínos no espeto e uma montanha-russa de promessas, o Porto escolheu a libertação e a indignação pelo voto. “Tentaram aplicar receitas que os portuenses jamais aceitariam. Não nos conhecem”, resume Francisco Ramos, antigo líder concelhio do PSD e mandatário financeiro do independente Rui Moreira, empresário de 57 anos que, no domingo, 29, fez história na Invicta, quase duplicando os votos do centrão local e sobressaltando o País.

in Visão – 03-10-2013

 

Maioria chumba parecer do PS a alertar para inconstitucionalidade do corte nas pensões

Os deputados da maioria não se revêem no parecer sobre a proposta de lei do Governo que prevê cortes nas pensões dos funcionários públicos, elaborado pela deputada socialista Isabel Moreira, e chumbaram o documento. Caberá agora ao deputado do PSD Hugo Velosa elaborar uma nova versão. A proposta de lei será debatida a 17 de Outubro, dois dias após a entrega do Orçamento do Estado ao Parlamento. A comissão parlamentar de Orçamento e Finanças pediu à comissão de Assuntos Constitucionais um parecer sobre o diploma, tendo os deputados atribuído à deputada do PS a redacção do parecer. Porém, e tal como Isabel Moreira já contava, a versão final não agradou à maioria do PSD e do CDS-PP. Depois de analisar o diploma, a deputada identificou “inconstitucionalidades flagrantes” no artigo 7.º que prevê, entre outras medidas, um corte retroactivo de 10% nas pensões pagas pela Caixa Geral de Aposentações de valor superior a 600 euros.

in Público – 03-10-2013

 

Entrevista a Paulo Vistas

“Estou disponível para trabalhar com qualquer partido. Mas este não é o meu PSD. O partido de Pedro Passos Coelho nada tem a ver com o meu PSD. O meu era um partido interclassista, reformista e humanista, que nos dizia que, primeiro, está o nosso país, a nossa terra, e depois o nosso partido.”

in Visão – 03-10-2013

 

Sobe & Desce

Jorge Moreira da Silva desce: Já está noutra, mas o actual ministro do Ambiente foi, como coordenador autárquico do PSD, o responsável pelas escolhas no Porto, em Lisboa, em Sintra e em Gaia. No domingo, viu-se o resultado.

in Sábado – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

A Avenida da Liberdade e o Mundo novo – Pedro Santana Lopes

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

Então porque é que o PSD perdeu? – Gonçalo Bordalo Pinheiro

in Sábado – 03-10-2013

Algumas notas sobre as autárquicas (1) – José Pacheco Pereira

in Sábado – 03-10-2013

Como se governa depois disto?Pedro Camacho

in Visão – 03-10-2013

E agora?Luís Marques Mendes

in Visão – 03-10-2013

O pequeno mundo do Bloco – Editorial

in Sábado – 03-10-2013

Alegrias eleitorais – Alexandre Pais

in Sábado – 03-10-2013

Meia-noite em Lisboa – Alberto Gonçalves

in Sábado – 03-10-2013

Escolhas do demoMiguel Alexandre Ganhão

in Correio da Manhã – 03-10-2013

A austeridade que rende votosEva Gaspar

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

 

Opinião dos leitores

Até ao lavar dos cestos…

in Diário de Notícias – 03-10-2013

Liderança do PSD

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

CAVACO SILVA
 

PR alerta para custos dos empréstimos às empresas

O Presidente da República alertou ontem, em Estocolmo, para os elevados custos dos empréstimos às empresas de média dimensão, considerando que têm sido “bastante injustos” e “economicamente ineficazes”. “O meu País tem suportado os custos da fragmentação do mercado financeiro europeu. Os elevados custos dos empréstimos para as empresas portuguesas de média dimensão têm sido bastante injustos e, pior, economicamente ineficazes. Mesmo assim, as empresas portuguesas – especialmente as de média dimensão – têm conseguido resultados excecionais nos mercados internacionais nos últimos anos”, afirmou Cavaco Silva, ao encerrar um seminário económico que juntou empresários portugueses e suecos.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

in Correio da Manhã – 03-10-2013

in OJE – 03-10-2013

 

Não sabia da fusão

Na visita à Suécia, foi o líder da Ericsson que informou o Presidente da República da fusão entre a PT e a Oi. “Está mais bem informado que eu”, respondeu Cavaco.

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

Pronto-socorro do euro prepara nova chuva de dinheiro para a banca

Cavaco Silva, Passos Coelho, Paulo Portas, Pires de Lima. Todos vêem a economia nacional a sair da recessão e a subir os degraus do crescimento. Uma visão bem diferente têm os responsáveis europeus sobre a economia da zona euro. Mario Draghi anunciou ontem mais uma injecção de dinheiro na banca para responder a um crescimento frágil. E o comissário europeu dos Assuntos Sociais diz que não há margem para complacências e que a recuperação ainda não é sustentável.

in i – 03-10-2013

 

ANTÓNIO JOSÉ SEGURO
 

Comissão política do PS reúne-se hoje para lançar convenção que prepare bases de um futuro Governo

Seguro vai aproveitar o embalo dos resultados das autárquicas para analisar a “incapacidade” do Governo e dar um passo em frente As 149 câmaras conquistadas pelo PS nas eleições autárquicas de domingo são a vitória expressa da estratégia de António José Seguro, que deverá hoje enaltecer na reunião da comissão política que se realiza esta noite na sede nacional, no Largo do Rato.

in Público – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

PS recusa sentar-se à mesa das negociações com Governo

Governo e PS parecem parecem condenados a não. se entenderem sobre o ajustamento económico acordado com a ‘troika’. Apesar do apelo do Presidente da República e da pressão que tem sido feita pelo Governo para que os socialistas se comprometam com o ajustamento, o líder do PS avisa que recusa sentar-se à mesa com o Executivo para novas conversações. Em entrevista à RR no rescaldo das autárquicas, nas quais o PS saiu vencedor, António José Seguro reafirmou que, se Passos decidiu manter o rumo das políticas, então “vai sozinho”. Seguro disse ser impossível um entendimento dado que discorda da política do Governo e das propostas dos credores internacionais.

in Diário Económico – 03-10-2013

 

Passos com tolerância até saída da troika

No Largo do Rato, embora mais calmo, o ambiente não é totalmente simpático para António José Seguro. Alguns contestatários consideram a percentagem de votos, 36%, claramente modesta, atendendo ao momento político do Governo. “Muito longe da maioria absoluta e sem, élan para lá chegar”, dizem-nos. Para não falar da perda “desnecessária” de bastiões que podiam continuar na orla socialista, como Matosinhos ou a Guarda.

in Visão – 03-10-2013

 

Seguro escolhe presidente da Associação de Municípios

“A escolha será feita em concertação”, disse à “Visão” António José Seguro, que deve apresentar, até ao final da semana, o nome que presidirá à Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP). Seguro participa hoje, quinta-feira, na reunião da Comissão Política, na qual as várias hipóteses ventiladas poderão começar a ser discutidas. A escolha será, depois, feita «em concertação» entre ele próprio, os autarcas e os órgãos dirigentes do PS. Com 150 câmaras conquistadas nas eleições de domingo, 73 das quais com mais de 50% dos votos, o partido voltou a ser maioritário na ANMP, que o socialista Mário de Almeida, autarca de Vila do Conde, já liderou, no passado.

in Visão – 03-10-2013

 

Bastidores: O segundo em que Seguro venceu

O líder do PS tinha apenas um discurso preparado: o da vitória em votos e também em câmaras. Acabou a noite a comer um bife pelas 2h da manhã no Foxtrot, em Lisboa.

in Sábado – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

Convém não desvalorizar as eleições europeias – Editorial de Eduardo Oliveira e Silva

in i – 03-10-2013

 

CARLOS ZORRINHO
 

Maioria inviabiliza queixa da AR à PGR contra Rui Machete

A maioria PSD/CDS chumbou ontem um requerimento do BE para que a alegada prestação de falsos testemunhos de Rui Machete, no âmbito da comissão de inquérito ao caso BPN, fosse participada à Procuradoria-Geral da República (PGR). O envio da queixa foi inviabilizado em conferência de líderes por sociais-democratas e centristas, o que motivou os bloquistas a formalizarem um projeto de deliberação para ser levado à PGR, que deverá ser votado na sexta-feira. O PS, pela voz do líder parlamentar, Carlos Zorrinho, voltou a exigir a demissão de Rui Machete, pois sustenta que este “tem cada vez menos condições éticas, tal como Maria Luís Albuquerque, de exercer as suas funções”.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

PS reclama “vitória histórica” nas autárquicas, maioria desvaloriza

Três dias depois das autárquicas, todas as bancadas (à excepção do BE, que optou por falar de Rui Machete) escolheram os resultados das eleições de domingo como tema de debate na primeira sessão plenária. O PS reclamou uma “vitória histórica”, e a maioria admite usar essa expressão no número de câmaras obtidas pelos socialistas. O CDS vangloriou-se dos cinco municípios conquistados, mas o PCP e o PS chamaram a atenção para a derrota eleitoral dos partidos da coligação. Carlos Zorrinho, líder da bancada socialista, começou por explicar a extensão da vitória eleitoral de domingo em que o PS conquistou 150 presidências de câmara. “Nunca antes, na história da democracia, um só partido ou uma coligação tinha conseguido um resultado assim. Nem a AD de Sá Carneiro, que foi quem mais se aproximou”, disse.

in Público – 03-10-2013 

 

PS
 

Maioria chumba parecer do PS a alertar para inconstitucionalidade do corte nas pensões

Os deputados da maioria não se revêem no parecer sobre a proposta de lei do Governo que prevê cortes nas pensões dos funcionários públicos, elaborado pela deputada socialista Isabel Moreira, e chumbaram o documento. Caberá agora ao deputado do PSD Hugo Velosa elaborar uma nova versão. A proposta de lei será debatida a 17 de Outubro, dois dias após a entrega do Orçamento do Estado ao Parlamento. A comissão parlamentar de Orçamento e Finanças pediu à comissão de Assuntos Constitucionais um parecer sobre o diploma, tendo os deputados atribuído à deputada do PS a redacção do parecer. Porém, e tal como Isabel Moreira já contava, a versão final não agradou à maioria do PSD e do CDS-PP. Depois de analisar o diploma, a deputada identificou “inconstitucionalidades flagrantes” no artigo 7.º que prevê, entre outras medidas, um corte retroactivo de 10% nas pensões pagas pela Caixa Geral de Aposentações de valor superior a 600 euros.

in Público – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

Deputados querem estender inquérito aos swaps por mais três meses

A comissão parlamentar de inquérito aos swaps poderá ser prolongada por mais três meses. O pedido de extensão do prazo vai ser votado em plenário amanhã, de modo a concretizar todas as audições já agendadas e as que ainda estão por calendarizar e também porque foi pedida à Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) uma análise à liquidação antecipada de contratos, levada a cabo pelo actual Governo no início deste ano. As comissões parlamentares de inquérito têm, por regra, a duração de 90 dias, embora o prazo possa ser alargado por mais três meses. Ontem, o presidente da comissão explicou que “há um propósito de não retardar, mas de desenvolver os trabalhos com eficácia suficiente”. Jorge Lacão (PS) acrescentou, porém, que pode não vir “a ser necessariamente imperativo que utilizemos todo esse prazo”.

in Público – 03-10-2013

 

Novo plano gera receitas extras

O Governo prepara-se para facilitar o pagamento de dívidas de empresas e contribuintes ao Fisco e à Segurança Social, nomeadamente através de planos de prestações e da redução dos juros por atrasos no pagamentos dos impostos. O programa especial, à semelhança do Plano Mateus, deverá entrar em breve em vigor e permitirá aliviar a tesouraria das empresas, bem como garantir receita extraordinária nos cofres do Estado, pressionado pela troika para o cumprimento da meta do défice, em 5,5%. Para o PS, trata-se de “um movimento do Governo à procura de receitas extraordinárias para a execução orçamental de 2013”, disse o deputado Pedro Marques.

in Correio da Manhã – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

PS cavalga a onda

Na sequência da vitória eleitoral de domingo, o PS apresenta já hoje, quinta-feira, várias propostas concretas, no âmbito da fiscalidade: redução do IVA da restauração, descida do IMI, obrigatoriedade de os bancos e fundos financeiros detentores de propriedade pagarem o respetivo IMI e apoios sociais aos idosos que não possam acompanhar a atualização das rendas. Mais tarde, o PS apresentará um projeto-lei para repor a oferta universal do ensino do inglês no 1.° ciclo. E uma iniciativa anunciada no último Congresso, a Convenção Novo Rumo (uma espécie de Estados Gerais) arrancará em breve.

in Visão – 03-10-2013

 

O homem que saiu do Laboratório de Ideias do PS

Todos reconhecem a empatia natural de Paulo Cafôfo com a população. O largo sorriso tornou-se na sua imagem de campanha, “não é fabricado. É natural. Sempre foi assim”, diz-nos… a sorrir. Desenham-lhe um perfil de homem honesto, simpático e coerente, que gosta de falar, de contactar com as pessoas. “Sou um entre os outros, costuma, dizer. Aos 42 anos, professor de História há 19 anos, presentemente afeto à Escola Secundária de Campanário (Ribeira Brava), casado também com uma professora, dois filhos, uma menina de 7 anos e um adolescente de 15 anos, família que pretende preservar longe das luzes da ribalta. Uma família que o apoia para o que der e vier. Paulo Cafôfo garantiu ao “DN” que a disponibilidade para a sua vida familiar ficou reduzida tendo de gerir esta nova fase em dois patamares.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Autárquicas levam à saída de 12 deputados

Os deputados vencedores fazem as malas após as autárquicas e despedem-se da Assembleia da República. Os outros – cerca de três dezenas, entre candidatos a câmaras, juntas e assembleias municipais – vão acumular os mandatos de deputados com as funções no Poder Local, alguns na Oposição. Entre as saídas com mais visibilidade está Bernardino Soares. De saída estão os deputados socialistas Basílio Horta (eleito presidente em Sintra), Anabela Freitas (Tomar), Rui Santos (Vila Real), Ricardo Rodrigues (Vila Franca do Campo), Fernando Medina e Duarte Cordeiro (vereadores a tempo inteiro em Lisboa).

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

Açores cumpriram metas orçamentais

Sérgio Ávila defendeu que as contas públicas açorianas não tiveram qualquer impacte percentual no défice nacional em 2012. O vice-presidente do Governo Regional dos Açores destacou ainda que a região “cumpriu integralmente as metas orçamentais e até teve resultados melhores do que se tinha comprometido” sendo “a única região do País” cujas contas públicas não apresentaram “qualquer correção ou alteração”.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Base de anúncios sem informação

Lançada pelo executivo socialista em 2010, a base de dados de publicidade institucional nunca funcionou em pleno e ainda está longe de estar a cem por cento. Primeiro foram os problemas técnicos, depois as empresas que não reportavam informação, e só agora, após ser reativada, a 26 de agosto, esta em movimento. O Gabinete para os Meios de Comunicação Social (GMCS), que avalia e valida as informações reportadas pelas empresas para o portal, diz ao CM que “os serviços estão a tratar largas dezenas de reportes para efeitos da sua disponibilização online”.

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

A deputada mais rebelde do Partido Socialista

Isabel Moreira foi a grande figura da 17.ª edição do Festival de Cinema Queer Lisboa. A deputada independente da bancada socialista foi a convidada especial daquele evento fortemente conotado com a comunidade homossexual.

in Sábado – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

Pequeno Dicionário Autárquico – Francisco Assis

in Público – 03-10-2013

A realidade de novo – Luís Amado

in Visão – 04-10-2013

Para o reforço do PS – Vítor Ramalho

in Público – 03-10-2013

 

PAULO PORTAS
 

Troika acredita que défice de 4% não ameaça recuperação

A estabilidade política é uma variável que preocupa os mercados e a troika. Depois da crise desencadeada na sétima avaliação, Paulo Portas prometeu cooperação e foi promovido, tendo ficado responsável pelo acompanhamento das negociações. Falta saber como reagirá se as suas “linhas vermelhas” forem mesmo ultrapassadas. Dada a aparente inflexibilidade da troika para aligeirar o ritmo de consolidação orçamental, só a economia e as previsões macroeconómicas poderão aliviar a tarefa do Governo. Caso não seja suficiente, Portas poderá perder algumas das mais importantes batalhas – caso da TSU dos pensionistas, da descida do IRC ou do alívio do IVA na restauração. Com os juros nos 7%, Cavaco Silva já avisou que é preciso estabilidade política.

in Jornal de Negócios – 03-10-2013

 

Pronto-socorro do euro prepara nova chuva de dinheiro para a banca

Cavaco Silva, Passos Coelho, Paulo Portas, Pires de Lima. Todos vêem a economia nacional a sair da recessão e a subir os degraus do crescimento. Uma visão bem diferente têm os responsáveis europeus sobre a economia da zona euro. Mario Draghi anunciou ontem mais uma injecção de dinheiro na banca para responder a um crescimento frágil. E o comissário europeu dos Assuntos Sociais diz que não há margem para complacências e que a recuperação ainda não é sustentável.

in i – 03-10-2013

 

Técnicos da troika defendem que Saúde não deve sofrer mais cortes

Os técnicos da troika acreditam que a área da Saúde atingiu o limite dos cortes orçamentais. Macedo tem defendido publicamente que o orçamento da Saúde não deve voltar a descer. Mas, perante o risco de mais chumbos do Tribunal Constitucional (TC) e de cedências noutras áreas da despesa (como nas pensões, onde Paulo Portas traçou uma “fronteira”) o SNS pode voltar a ser alvo de cortes transversais. Só entre o risco que pesa sobre os cortes nas pensões da CGA e a não aplicação da TSU dos pensionistas estão comprometidos mais de 1,1 mil milhões de euros. Estes riscos já levaram os credores internacionais a pedir ao Executivo que tenha um plano B para acautelar surpresas negativas.

in Diário Económico – 03-10-2013

 

Troika não cede um milímetro

Com os recentes chumbos do Constitucional (travou o regime que permitia despedir funcionários) e outros que possam acontecer (caso da convergência da CGA com o regime geral), o Governo ficou sem respostas consistentes (e convincentes) para dar à troika. As eleições também não ajudaram a encontrar alternativas, com o CDS a desmarcar-se do programa (o guião de Paulo Portas, prometido desde fevereiro, ainda não é conhecido; está contra a taxa social sobre os pensionistas).

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

Convém não desvalorizar as eleições europeias – Editorial de Eduardo Oliveira e Silva

in i – 03-10-2013

Alguém sabe da reforma do Estado? – Gonçalo Bordalo Pinheiro

in Sábado – 03-10-2013

Juízo final – Alberto Gonçalves

in Sábado – 03-10-2013

 

 
 

Requalificação de regresso… sem despedimento

O PSD e o CDS já entregaram no Parlamento a proposta de alteração ao regime de requalificação da Função Pública, que retira a possibilidade de despedimento dos trabalhadores inativos há mais de 12 meses, uma das normas chumbadas pelo Tribunal Constitucional.

in Jornal de Notícias – 04-10-2013

 

Maioria chumba parecer do PS a alertar para inconstitucionalidade do corte nas pensões

Os deputados da maioria não se revêem no parecer sobre a proposta de lei do Governo que prevê cortes nas pensões dos funcionários públicos, elaborado pela deputada socialista Isabel Moreira, e chumbaram o documento. Caberá agora ao deputado do PSD Hugo Velosa elaborar uma nova versão. A proposta de lei será debatida a 17 de Outubro, dois dias após a entrega do Orçamento do Estado ao Parlamento. A comissão parlamentar de Orçamento e Finanças pediu à comissão de Assuntos Constitucionais um parecer sobre o diploma, tendo os deputados atribuído à deputada do PS a redacção do parecer. Porém, e tal como Isabel Moreira já contava, a versão final não agradou à maioria do PSD e do CDS-PP. Depois de analisar o diploma, a deputada identificou “inconstitucionalidades flagrantes” no artigo 7.º que prevê, entre outras medidas, um corte retroactivo de 10% nas pensões pagas pela Caixa Geral de Aposentações de valor superior a 600 euros.

in Público – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

Maioria inviabiliza queixa da AR à PGR contra Rui Machete

A maioria PSD/CDS chumbou ontem um requerimento do BE para que a alegada prestação de falsos testemunhos de Rui Machete, no âmbito da comissão de inquérito ao caso BPN, fosse participada à Procuradoria-Geral da República (PGR). O envio da queixa foi inviabilizado em conferência de líderes por sociais-democratas e centristas, o que motivou os bloquistas a formalizarem um projeto de deliberação para ser levado à PGR, que deverá ser votado na sexta-feira. João Almeida (CDS) observou que as declarações de João Semedo e o projeto de deliberação não passam de um “número político” para esconder um resultado “profundamente negativo” nas autárquicas de domingo.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

Resignados ao pântano – João Luís Pinto

in Diário Económico – 03-10-2013

 

JOÃO SEMEDO E CATARINA MARTINS
 

Maioria inviabiliza queixa da AR à PGR contra Rui Machete

A maioria PSD/CDS chumbou ontem um requerimento do BE para que a alegada prestação de falsos testemunhos de Rui Machete, no âmbito da comissão de inquérito ao caso BPN, fosse participada à Procuradoria-Geral da República (PGR). O envio da queixa foi inviabilizado em conferência de líderes por sociais-democratas e centristas, o que motivou os bloquistas a formalizarem um projeto de deliberação para ser levado à PGR, que deverá ser votado na sexta-feira. “Neste Parlamento ou fora dele, não há ninguém que possa dizer que a afirmação de Rui Machete é verdadeira e todos podem comprovar que é falsa”, afirmou o coordenador do BE, João Semedo, numa intervenção em que se focou nas críticas à ligação do agora ministro dos Negócios Estrangeiros, acrescentando que, “para o PSD e o CDS, a mentira e a verdade são valores muito relativos”.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

in Correio da Manhã – 03-10-2013

in i – 03-10-2013

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

in Público – 03-10-2013

 

Mais e menos

João Semedo perdeu cor esta semana: Se o líder não é eleito em Lisboa, onde o BE era grande, como é que vai impor-se no País?

in Visão – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

O pequeno mundo do Bloco – Editorial

in Sábado – 03-10-2013

 

Opinião dos leitores

Eleições versus felicidade

in Público – 03-10-2013

 

PEDRO FILIPE SOARES
 

Maioria inviabiliza queixa da AR à PGR contra Rui Machete

A maioria PSD/CDS chumbou ontem um requerimento do BE para que a alegada prestação de falsos testemunhos de Rui Machete, no âmbito da comissão de inquérito ao caso BPN, fosse participada à Procuradoria-Geral da República (PGR). Ao “i”, o líder parlamentar do BE refere que a Assembleia da República “não deve dizer se houve ou não falta à verdade ou uma incorrecção factual” por parte de Machete, à data presidente do Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios (do grupo BPN).

in i – 03-10-2013

 

BE
 

Técnicos vão analisar negociação

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), uma equipa especializada que auxilia os deputados a avaliar informação financeira, vai analisar o impacto da negociação do Governo com abanca que levou ao cancelamento de vários contratos de swap assinados por empresas públicas. A decisão foi ontem aprovada por maioria na comissão de inquérito aos contratos tóxicos. A iniciativa partiu do BE, que entende que “as explicações da ministra Maria Luís Albuquerque carecem de significativa falta de clareza e rigor”. Para o BE, “o Governo optou por entregar 1.037 milhões de euros aos bancos para fechar 69 contratos cujas perdas até à maturidade poderiam atingir os 1.528 milhões”.

in Correio da Manhã – 03-10-2013

 

Vitórias e derrotas

Na aritmética eleitoral todos os partidos perderam eleitores face às autárquicas de 2009, sendo a “AD” e o Bloco de Esquerda os grandes derrotados. Se compararmos estes números com os das legislativas de 2011 verificamos que a coligação encabeçada por Jerónimo de Sousa absorveu grande parte do eleitorado bloquista.

in Visão – 03-10-2013

 

Joana Amaral Dias: “BE tem de partir muita pedra”

“A expectativa saiu completamente gorada. Os simpatizantes e eleitores não perdoam isso ao Bloco”. Joana Amaral Dias diz que o partido deve focar mais energias na crítica ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho, “um dos piores de sempre”, e menos ao PS, que tem sido visado pelo seu comprometimento com o memorando da ‘troika’ para o país.

in Diário de Notícias – 03-10-2013

 

Sobe & Desce

Francisco Louçã desce: Na primeira eleição depois da sua reforma, o Bloco, que Louçã levou anos a construir, conseguiu 2,42% dos votos, perdeu a única câmara que tinha e até fica sem um vereador em Lisboa. A escolha que fez dos seus sucessores foi um desastre.

in Sábado – 03-10-2013

 

Artigos de opinião/ Comentários

O pequeno mundo do Bloco – Editorial

in Sábado – 03-10-2013

O que aconteceu ao BE – Alberto Gonçalves

in Sábado – 03-10-2013

 

JERÓNIMO DE SOUSA
 

Vitórias e derrotas

Na aritmética eleitoral todos os partidos perderam eleitores face às autárquicas de 2009, sendo a “AD” e o Bloco de Esquerda os grandes derrotados. Se compararmos estes números com os das legislativas de 2011 verificamos que a coligação encabeçada por Jerónimo de Sousa absorveu grande parte do eleitorado bloquista.

in Visão – 03-10-2013

 

Mais e menos

Jerónimo de Sousa ganhou cor esta semana: é o rosto da recuperação do PCP. O Alentejo volta a estar pintado de vermelho, mas a reconquista de Loures também é impressionante.

in Visão – 03-10-2013

 

BERNARDINO SOARES
 

Autárquicas levam à saída de 12 deputados

Os deputados vencedores fazem as malas após as autárquicas e despedem-se da Assembleia da República. Os outros – cerca de três dezenas, entre candidatos a câmaras, juntas e assembleias municipais – vão acumular os mandatos de deputados com as funções no Poder Local, alguns na Oposição. Entre as saídas com mais visibilidade está Bernardino Soares. O líder parlamentar do PCP, eleito presidente em Loures, deverá ser substituído nas funções por João Oliveira.

in Jornal de Notícias – 03-10-2013

 

 

 

Scroll To Top